redes sociais

8 passos para posicionar a marca nas redes sociais

Posicionar a marca nas redes sociais é essencial numa estratégia de marketing e comunicação. Mas isso não pode ser feito de forma inconsistente e improvisada. Os conteúdos escolhidos, a frequência e calendário de publicação devem estar estruturados numa estratégia de médio prazo, definida previamente e avaliada durante a sua aplicação.

Neste artigo propomos 8 passos para posicionar a marca nas redes sociais. São um ponto de partida para o trabalho do community manager, o responsável pela sua gestão e monitorização.

Vamos começar?

Analisar a marca e a envolvente

O primeiro passo é conhecer bem a marca e os seus produtos. Se se trata de uma nova marca, sem presença prévia nas redes sociais, esta análise implica compreender a sua proposta de valor e a forma como tem utilizado os canais de comunicação. Se a marca já atua no mercado há algum tempo e tem desenvolvido atividade online, é importante observar o trabalho já realizado e os resultados obtidos.

Deve ser também analisada a atividade da concorrência quer nas redes sociais quer na comunicação online em geral, procurando aspetos positivos que possam ser aproveitados e aspetos negativos que possam ser melhorados.

Finalmente, deve ser feito algum benchmarking estratégico para identificar boas práticas em outras marcas do sector que possam servir como inspiração para futuras ações da marca.

Objetivos das redes sociais

Definir objetivos

Antes de desenvolver qualquer estratégia é fundamental definir objetivos: porquê e para quê a marca pretende estar presente nas redes sociais. Apesar de muitos gestores cederem à tentação de assumirem as vendas como objetivo principal, a verdade é que este canal não permite atingir essa meta facilmente, pelo menos no imediato. Cabe-lhes um papel de encaminhamento do consumidor ao longo do funil de vendas até chegar à conversão.

Antes de mais as redes sociais permitem gerar notoriedade, dando a conhecer a marca e a sua atividade quotidiana. Num segundo nível permitem gerar envolvimento com o consumidor através de conteúdo útil e interessante. Finalmente, podem mostrar produtos e promoções encaminhando o consumidor para o website, onde este pode efetivar a compra.

Identificar o público

A marca não fala para todos. É essencial que a presença nas redes sociais seja construída de forma direcionada tendo em consideração um perfil de consumidor, uma buyer persona. Na estruturação deste perfil devem ser incluídas componentes como a idade e sexo, profissão e outras atividades, expectativas e receios face ao produto e momentos de utilização.

O conhecimento deste perfil vai permitir criar um plano mais direcionado: na definição de conteúdos, na escolha do tom de linguagem e na estruturação de um calendário e frequência de publicação.

Selecionar os canais

A marca não pode estar em todas as redes. É essencial selecionar um conjunto restrito de redes de modo a otimizar recursos: tempo, esforço e investimento. São vários os critérios que podem ser utilizados para a seleção das redes sociais.

Em primeiro lugar a marca deve estar onde estão os seus consumidores. É a melhor forma de ir ao seu encontro e de se enquadrar no conjunto dos seus interesses. Em segundo lugar devem ser escolhidas as redes que reúnem características técnicas que melhor se adequam à comunicação da marca, utilizando o texto, a imagem e o vídeo. Finalmente, deve ser selecionado um número de redes que esteja adequado às capacidades da marca, quer ao nível do volume de publicações, quer ao nível do acompanhamento dos utilizadores.

Atualmente, e apesar de muita discussão entre especialistas, as principais redes sociais que as marcas podem usar são o facebook, instagram, youtube, pinterest, twitter, linkedin e whatsApp.

Estilo e tom nas redes sociais

Clarificar posicionamento e estilo

Com base na análise previamente feita, é necessário definir um estilo enquadrados na identidade marca. Dessa forma as diferentes publicações irão assumir essa identidade de forma coerente e numa única linguagem.

Esta componente vai enaquadrar o tom de voz (brand voice) que será usado: formal, descontraído, alegre, irreverente, etc. Este tom não é apenas verbal, mas também visual, traduzindo-se no estilo de imagens que a marca irá publicar. O tom deverá exprimir o espírito da marca, mas também ir ao encontro do perfil de consumidor.

Delinear periodicidade e calendário

Dependendo dos recursos financeiros e humanos da empresa, esta deve fazer o planeamento das publicações definindo uma certa periodicidade. Esta frequência deve ser estabelecida para cada rede social, pois cada uma tem características diferentes e implica ritmos de publicação específicos.

Outra componente importante é o calendário anual que pode envolver publicações adequadas a determinadas épocas. Assim, é necessário assumir épocas do ano fundamentais para a marca, datas importantes a assinalar, promoções e outras ações de marketing previamente programadas.

Produzir conteúdo

A um nível mais operacional, a marca deve fazer publicações de forma constante e coerente. Depois de estabelecidos os pontos anteriores, torna-se muito mais fácil definir O QUÊ, PARA QUEM, COMO, QUANDO e PORQUÊ publicar nas redes sociais.

Entre os diversos tipos de conteúdos que podem ser produzidos, destacamos quatro.

Em primeiro lugar, os conteúdos relacionados com os produtos ou serviços que a empresa vende. Podem ser apresentados novos lançamentos, promoções e destaques para conduzir o utilizador à loja online.

As publicações corporativas, relacionadas com a empesa, encarregam-se de divulgar notícias e atividades da organização.

Os conteúdos destinados a acrescentar valor oferecem ao utilizador informação útil relacionada direta ou indiretamente com o produto ou serviço.

E, finalmente, as publicações destinadas a gerar envolvimento apresentam mensagens positivas e atraentes que solicitam uma interação do utilizador.

Avaliação de resultados em redes sociais

Avaliar e monitorizar

A avaliação deve ser permanente e não esporádica. É função do community manager verificar o impacto de cada publicação e responder aos comentários e interações dos utilizadores.

A monitorização e gestão de redes sociais pode ser feita com o apoio de ferramentas online direcionadas para essa função, tais como Buffer e Hootsuite. Estas ferramentas permitem, além de planificar as publicações, apresentar as métricas que permitem ver a sua performance.

Em síntese

No conjunto dos diversos canais de comunicação, as redes sociais têm um papel privilegiado: vão ao encontro do utilizador onde este procura conteúdos do seu interesse e permite intercetá-lo no seu dia-a-dia, onde quer que ele esteja.

Posicionar a marca nas redes sociais deve implicar um plano que incorpore os objetivos, o público-alvo, o posicionamento e os conteúdos que a marca pretende apresentar. Tanto uma grande empresa como uma startup devem assumir este canal de forma planeada para poderem retirar dele os melhores resultados.

Queres saber um pouco mais?

Sugerimos-te um vídeo de Darlan Evandro com dicas bastante práticas sobre a gestão de redes sociais.

Ferramentas para redes sociais

Cover designed by Freepik: https://br.freepik.com/

Icons designed by Dimitry Miroliubov from Flaticon: www.flaticon.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *